Precipitação e temperatura

A ficha temática “Precipitação e temperatura” analisa a variação das médias anuais de precipitação e temperatura em relação aos valores médios verificados no período 1971-2000.

Descrição: 

A precipitação desempenha um papel vital nos sectores da agricultura, abastecimento público de água, produção de energia, indústria, turismo e ecossistemas naturais. Em conjunto com a temperatura, é um dos indicadores mais importantes para caracterizar o clima de uma dada região.

A temperatura média anual do ar à superfície da terra é um indicador essencial para a avaliação do estado do ambiente: para além de ser um dos que é monitorizado há mais anos, é também o principal indicador para a monitorização das alterações climáticas. O aumento da temperatura, em grande parte devido à emissão de gases com efeito de estufa, influencia, entre outros, o nível do mar, a intensidade e frequência das cheias e das secas, as espécies e os habitats, o rendimento das culturas agrícolas e as doenças infeciosas.

Conforme convencionado pela Organização Meteorológica Mundial, o clima é caracterizado pelos valores médios dos vários elementos climáticos num período de 30 anos, um número de anos suficientemente longo para representar o valor médio daquele parâmetro no local considerado.

Os eventos climáticos relevantes referentes à temperatura incluem as ondas de calor (ocorrem quando, num intervalo de pelo menos 6 dias consecutivos, a temperatura máxima diária é superior em 5ºC ao valor médio diário no período de referência) e as ondas de frio (ocorrem quando, num período de pelo menos 6 dias consecutivos, a temperatura mínima do ar é inferior em 5ºC ao valor médio diário no período de referência).

Esta ficha temática será atualizada anualmente e diz respeito a Portugal continental.

Objetivos e Metas: 
  • À semelhança dos seus antecessores, o 7º Programa de Ação em Matéria de Ambiente estabelece o enquadramento para a política ambiental da União Europeia para o período 2013-2020. Entre as três Prioridades Temáticas que identifica, está a de tornar a União numa economia de baixo carbono, eficiente na utilização dos recursos, verde e competitiva, em que por sua vez se inscreve, no âmbito das alterações climáticas, a meta de limitar a 2°C, o aumento da temperatura média global da superfície da Terra, em comparação com os níveis pré-industriais. Portugal está plenamente comprometido com este objetivo.
Análise da evolução:
Última atualização: 
Sexta, 20 Abril, 2018